Uma das minhas últimas leituras de 2015 e que me fez terminar o ano com chave de ouro. Uma leitura maravilhosa e que me deixou em pedaços, é eu li, finalmente, Proibido da autora Tabitha Suzuma. Confiram a Resenha!



Proibido



Autor(a): Tabitha Suzuma
ISBN-10: 8565859363
Ano: 2014
Páginas: 304
Editora: Valentina
Sinopse:

Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.



Proibido foi uma leitura maravilhosa, envolve e devastadora. Confesso que como a grande maioria eu tinha um certo receio com a obra, não pelo tema abordado em si, que é o incesto entre irmãos, mas por medo de não me envolver com a leitura e achar chato ou algo assim. Minhas expectativas que não eram altas foram mais que superadas. E quando dei por mim em apenas um dia li o livro todo.

Maya e Lochan os protagonistas da história tem mais 3 irmãos e desde que o pai foi embora sua vida se resume a dividir as tarefas de casa, cuidar dos pequenos, tentar pagar as contas e estudar. A mãe deles é completamente ausente e deixa toda sua responsabilidade em cima dos dois filhos mais velhos.

A narrativa da história é alternada entre Maya e Lochan e estar na pele de ambos é perturbador, os questionamentos, a luta interna a sobrecarga das tarefas. É uma leitura muito densa, que te envolve, te cansa e te deixa indignado com a mãe deles e com o mundo que prefere julgar coisas sem sentido à outras tão cruéis. 





Proibido vai proporcionar ao leitor um grande questionamento, sobre o que é o amor, sobre certo e errado, certo para quem, errado para quem e tantas outras coisas. 
Os personagens lutam contra seus sentimentos grande parte do enredo e são as circunstâncias que os aproximam, afinal pelo problemas e a realidade vivenciada por eles, ambos acabam não tendo uma adolescência "comum ou normal" e inclusive, para o Lochan é extremamente difícil relacionar-se com outras pessoas de sua idade, seu refugio, força e conforto é Maya, é tudo que ele conhece o único amor que conhece. E com ela em relação à ele, a mesma coisa.


“Não há leis nem limites para os sentimentos. Nós podemos amar um ao outro tanto e tão profundamente quanto queremos. Ninguém Maya, ninguém vai tirar isso de nós.”

Então em certo momento você se vê torcendo pela felicidade deles, se vê condenando o mundo e encara com uma naturalidade brutal o sentimento lindo e puro que começa a florescer entre eles. Fiquei com vontade de bater no mundo e gritar a plenos pulmões amem e deixem amar, apenas.

A autora escreve maravilhosamente bem, tive inúmeros sentimentos ao longo da leitura e cheguei a conclusão de que o final que a mesma deu é bem plausível para dizer o minimo para a realidade da sociedade na qual vivemos mas, ainda sim de partir o coração! Admiro a coragem dela para escrever sobre um tema tão delicado e de forma tão bela. Sinceramente esse livro me marcou demais, sempre, sempre, sempre me lembrarei dele e sentirei uma leve pontada no coração. 

Leitura mais que recomendada, só preparem-se para ficar em choque e em pedaços! 

Não vou falar sobre a diagramação pois li em e-book no kindle, mas sem dúvida alguma quero o livro físico na minha coleção.
XoXo!