A Era Vitoriana, ocorrida entre 1837 a 1901, marca o reinado da Rainha Vitória no Reino Unido e um período de grandes transformações econômicas, políticas e culturais



Os principais nomes da literatura vitoriana são Oscar Wilde, George Eliot, Charles Dickens, Jane Austen e as irmãs Charlotte, Emily e Anne Brontë.

A literatura do período pode ser divida entre os romances onde se narravam os gostos e hábitos da burguesia que se enriquecia e autores que se dedicaram à ficção científica.

Um dos escritores que captaram as contradições da Era Vitoriana foi o romancista Charles Dickens (1812-1870), cuja introdução do seu livro “Um conto entre duas cidades” resume estes anos:
"Foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos. Foi a idade da sabedoria, foi a idade da tolice. Foi a época da fé, foi a época da incredulidade. Foi a estação da luz, foi a estação das trevas. Foi a primavera da esperança, foi o inverno do desespero. Tínhamos tudo diante de nós, não havia nada antes de nós. Todos íamos direto para o céu, todos íamos direto para o outro lado."
Dickens mostraria o duro cotidiano das crianças da classe operária em sua obra "Oliver Twist".
Destacam-se os autores que se dedicaram a escrever histórias de terror e suspense como Mary Shelley (1797-1850) explorando os limites da ciência em sua obra "Frankenstein".
Igualmente, é desta época o célebre detetive Sherlock Holmes e seu assistente Watson, de Arthur Conan Doyle (1859-1930), que percorriam as escuras ruas londrinas para desvendar crimes.

Em suma, esse período também é conhecido como período vitoriano, esta época é caracterizada pela consolidação da supremacia inglesa nos mares, pela conquista de colônias na África e na Ásia, aumento de indústrias e estímulo às artes.

Ainda sobre Literatura... foi nessa época que a configuração de trilogia como conhecemos teve início. Frankstein por exemplo, sua primeira edição foi feita em três volumes e teve impressas somente 500 cópias.